Mantenha sua tradição em valores humanos e investe em modernização no método de ensino e infraestrutura.

Pedagogia de Schoenstatt

Sistema Pedagógico criado em 1912, por José Kentenich

 

O modelo pedagógico adotado pelo Colégio Mãe de Deus centra-se no educador Kentenich que, ao propor o Sistema Pedagógico de Schoenstatt, ressalta a pessoa do educador como parte fundamental do processo educativo e que se desenvolve num profundo relacionamento com o educando.

Essa proposta, original, contempla o ser humano em todas as suas potencialidades e necessidades, considerando que a prática pedagógica lida com os movimentos internos de cada estudante e harmoniza-os com seus projetos pessoais.

Para atingir este objetivo, Kentenich desenvolveu uma pedagogia própria, as chamadas estrelas condutoras, a saber (PPP, pg 64):

Pedagogia do Ideal é uma pedagogia de atitude, da formação do próprio caráter, como personalidade única e, portanto, com objetivos pessoais de vida em relação à sociedade. Tal pedagogia se propõe a:

  • Criar ambientes favoráveis ao processo de autoeducação;
  • Despertar, conduzir, orientar, dirigir a autoeducação por meio de um projeto de vida, o assim denominado ideal pessoal;
  • Dar pleno sentido à existência em todos os âmbitos da vida: social, cultural, cientifico, comunitário, afetivo e espiritual;
  • Despertar nos educandos a consciência de valor pessoal e a autoconfiança;
  • Proporcionar ao educando meios para que ele adquira profunda autoestima e ardorosa consciência de missão, na conquista do amor e no domínio da vida para si e para todos.

Pedagogia da Confiança valoriza e aplica a prática do diálogo. Nesta, acentua-se ainda mais o papel do educador a quem cabe:

  • Saber ouvir, conhecer, interpretar e compreender a linguagem do educando;
  • Colocar o educando no centro e a si mesmo em segundo plano, numa atitude de indiferença frente à sua própria pessoa;
  • Não deixar-se guiar por simpatias e antipatias e colocar-se em atitude de serviço.

A Pedagogia da Confiança pressupõe uma constante autoavaliação do educador que precisa examinar-se constantemente: vivo o que ensino? O que exijo?
Quando diante de uma correção ao aluno deve proceder delicadamente somente após um ato-exame sobre a matéria da correção e as circunstancias que o envolvem. A Pedagogia da Confiança busca:

  • Orientar o educando pelo contato pessoal, mediantes relações e vinculações sadias;
  • Informar-se do estágio de desenvolvimento do educando;
  • Inteirar-se da educação recebida por este, dos seus critérios de valor e compreender a sua linguagem;
  • Motivar o educando por um conhecimento que o eleve;
  • Valorizar os dotes do educando, suas peculiaridades;
  • Destacar seu valor dentro do grupo;
  • Orientá-lo para e pelo seu ideal pessoal;
  • Conceber a educação como um serviço à vida e um serviço ao amor a deus e ao próximo.


Pedagogia do Movimento consiste em saber utilizar as oportunidades, os acontecimentos, as circunstâncias, os fatos, para suscitar entre os educandos correntes de vida, iniciativas favoráveis à educação.A Pedagogia do Movimento objetiva:

  • Despertar o sentido de justiça e responsabilidade social, possibilitando ao educando entender-se como uma pessoa que vive em sociedade e é chamada a dar sua contribuição de serviço sempre em vista do bem comum;
  • Formar o educando com dinamismo, criatividade e eficácia tornando-o um instrumento apto para a renovação do mundo, um protagonista com liderança qualificada.

Pedagogia Da Aliança - Pe. Kentenich propõe que o relacionamento do educador com o educando se processa nos moldes de uma Aliança de Amor. Esta Aliança de Amor funciona na maneira de um mútuo dar e receber. O ponto de partida desta aliança é Maria, Mãe de Deus, causa exemplar do ser humano profundamente impregnado da graça divina. Aqui temos a dimensão espiritual do Sistema Pedagógico de Schoenstatt.
A Pedagogia da Aliança apresenta os seguintes objetivos:

  • Incentivar e conduzir o educando a viver sob a proteção de Maria e selar a Aliança de Amor com a Mae de Deus em seu Santuário de graças, onde ela atua como grande Educadora e Missionária;
  • Contribuir, pela livre colaboração humana, no processo de autoeducação;
  • Conquistar a liberdade, a autonomia e o compromisso social por uma forte consciência de missão para renovação religiosa, social, politica, ética e moral, cientifica e cultural do mundo.

Pedagogia da Vinculação abrange a vinculação às pessoas, a ideias, às coisas e à lugares. A vivência desta tríplice vinculação confere ao aluno a experiência da escola como prolongamento do lar; o ideal de classe como estrela condutora de sua vida e um relacionamento pessoal com os professores como orientadores compreensivos. Assim, proporciona ao educando desdobrar as suas capacidades, levando-o a se vincular e a encontrar seu último fim: Deus. São objetivos da Pedagogia da Vinculação:

  • Despertar e favorecer o desdobramento da capacidade de amar natural e sobrenatural. Esta é uma exigência da vida humana, uma condição necessária para o crescimento e amadurecimento da personalidade feliz, plena, integrada, harmoniosa e equilibrada. É, igualmente, o pressuposto fundamental da experiência de Deus nos âmbitos da existência espiritual, ética, social, profissional e científica;
  • Criar e favorecer as experiências naturais, sadias e repletas de valores relacionados com as pessoas, os locais (inclusive o meio ambiente) e às ideias e ideais a favor do desenvolvimento dos educandos em todos os âmbitos que vive e convive;
  • Ser e dar uma resposta vital à desvinculação, ao desabrigo geral que o homem experimenta hoje. A negação e o desprezo das vinculações humanas tornam o homem totalmente frio e indiferente, despersonalizado, medroso, inseguro e infeliz.